Tuesday, December 15, 2009

A Christmas Carol (Charles Dickens)

Visitei a Feira de Natal do Charles Dickens em San Francisco no último domingo. Não poderia ir a feira sem ter lido um dos contos de Natal escrito por ele, por isso (e porque esse foi um dos livros escolhidos pelo Clube do Livro do qual faço parte). A feira foi impressionante, muitos visitantes foram vestidos à caráter, com roupas de época e ainda tentando falar com sotaque britânico. Nunca vi tanta gente tão envolvida com a preparação de uma feira. Merece aplausos!

A Christmas Carol (Um cântico de Natal, em português) conta a história do Sr. Scrooge, um velhinho avarento, rancoroso, mal-humorado e que não tem interesse algum no Natal, Humbug é a expressão que marca dua falta de humor. Desdenha de todo o alvoroço feito pelas pessoas quando chega essa época e solta os cachorros em cima de seu empregado, Bob Cratchit, por usar o Natal como desculpa para ser pago sem trabalhar.

Enquanto todos celebram o Natal, Sr. Scrooge (após recusar o convite do único sobrinho, Fred para ceiar com a família) tem seu jantar sozinho e vai para cama.
"Feliz Natal! Que direito tu tens de ser feliz? Que razão tens para ser feliz? Tu és pobre." (pag. 4)
O que ele não espera era a visita do fantasma do seu parceiro de trabalho, Marley, morto há sete anos, na noite de Natal.


Marley veio para aconselhar Sr. Scrooge a mudar sua atitude, sem muitas explicações diz que o amigo receberá a visita de 3 fantasmas. A princípio Sr. Scrooge pensa ser um sonho, depois trata a situação com ironia e comicidade.

"É requerido de cada homem," diz o fantasma, "que o espírito que nele há perambule entre os homens, e viaje longe e vastamente; e se esse espírito assim não progride na vida, ele é condenado a fazer após sua morte (...) Condenado a perambular pelo mundo e testemunhar o que não pode compartilhar, mas que provavelmente compartilharia em vida e seria feliz!" (pag. 15-16)

O espírito de Marley viaja incessantemente por todos esses anos "um descanso sem paz, incessante tortura do remorso". Em vida seu espírito nunca foi além do estreito limite de seu trabalho com Contador "sem saber que nenhum arrependimento pode consertar o mal uso de uma oportunidade perdida". (pag. 17)

Primeiro Fantasma - Fantasma do Natal Passado:
Faz uma retrospectiva do passado do Sr. Scrooge, levando-o à sua infância, percebe-se que a família de Sr. Scrooge nunca deu muita importância ao Natal, se não fosse por sua irmã, a pequena Fan, Scrooge passaria muitos dos Natais sozinho na escola.

Segundo Fantasma - Fantasma do Presente:
O fantasma mostra a Scrooge o que as outras pessoas estão fazendo na noite de Natal, enquanto Scrooge prefere ficar sozinho em sua casa, seus conhecidos celebram o Natal. Sr. Scrooge vê a casa de seu empregado Bob, apesar de ser pobre, a família se reune e prepara um bela ceia com os recursos que têm, celebrando a união e a vida de pequeno Tim (filho mais novo de Bob que sofre de paralisia) - Bob ainda menciona o nome do patrão, com uma certa compaixão.
Sr. Scrooge também tem a oportunidade de ver o Natal na casa de seu único sobrinho (filho da pequena Fan)... estão todos reunidos felizes, unidos, o sobrinho lembra do tio e diz sentir por ele não estar lá celebrando com eles, a noite termina com um animado jogo - deixando Scrooge cheio de remorso e desejando estar lá.
A felicidade está presente em todos os lares visitados naquela noite.

Terceiro Fantasma -Fantasma do Futuro:
Sr. Scrooge treme ao ver o fantasma, é o único que não conversa com Scrooge, vem vestido de morte. Mostra a Sr. Scrooge o futuro que o espera, caso morra vândalos saquearão seu sepulcro, roubarão os bens que Sr. Scrooge passou tantos anos acumulando, poucos falarão de sua morte, comentarão como um fato corriqueiro, logo será substituído e esquecido, o pequeno Tim por falta de maiores recursos sucumbe à sua doença, sua morte deixa Bob totalmente desolado. Sr. Scrooge questiona o fantasma, quer saber se ainda há tempo para mudança, se aquele homem no sepulcro é ele mesmo, mas nada lhe é respondido.

Quando Scrooge acorda, parece que anos se passaram mas ele realiza que não foi nada mais que algumas horas. Seu coração transformado busca ação imediata. Scrooge é um outro homem e corre contra o tempo para celebrar o Natal e abençoar a ceia de muitos outros.


"Estou leve como uma pena, feliz como um anjo, tão feliz quanto um garotinho.Estou tão fútil quanto um bêbado. Um feliz Natal a todos! Um Feliz Ano Novo ao mundo inteiro! Ei aí! Olá! Hello!"

4 comments:

Mariane said...

Ju...

Nossa faz tempo que não passo por aqui, desculpe a minha ausência, aconteceram tantas coisas agora que estou voltando tudo no lugar, mas aqui... seu blog continua ótimo!!!

Um grande abraço...

Bjooo...

Manuel Cardoso said...

Ju, viste o filme do Zemeckis? Está lindo!!! Uma adaptação excelente com o recurso muito bem explorado à técnica de 3D.
Uma alegria para os olhos e música para o coração. De ir às lágrimas!

Minerva Pop said...

Olá, Ju!
Estou empre pro aqui, mas estava ausente dos comentários. Sobre este em específico, acho que foi bem propícia a lembrança. História deliciosa que como todo clássico, não fica velha nunca.

Bj

Sandro

Andréia M. G. said...

Deu vontade de ler o livro! Esses fantasmas do passado, presente e futuro estão a volta de todos nós pelo menos em algum momento de nossas vidas. É como se fosse um acerto de contas, um despertar para o que estamos fazendo de nossas vidas. Gostei bastante! Feliz Natal!!!