Saturday, January 16, 2010

Poema de Sábado

Ai, ai Casimiro de Abreu... o que me encanta nele é a simplicidade, a falta de sofisticação, a ingenuidade.
Foi filho bastardo, teve apenas educação primária, trabalhou duro para o pai mas descobriu nas palavras a sua força e deliciou o mundo com um único livro - As Primaveras.
De versos simples e românticos e de uma espontaneidade cativante, Casimiro é um dos meus poetas favoritos e hoje decidi compartilhá-lo com vocês!


Clara

Não sabes, Clara, que pena
eu teria se — morena
tu fosses em vez de clara!
Talvez… quem sabe… não digo…
mas refletindo comigo
talvez nem tanto te amara!

A tua cor é mimosa,
brilha mais da face a rosa
tem mais graça a boca breve.
O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
és clara da cor da neve!

A morena é predileta,
mas a clara é do poeta:
assim se pintam arcanjos.
Qualquer, encantos encerra,
mas a morena é da terra
enquanto a clara é dos anjos!

Mulher morena é ardente:
prende o amante demente
nos fios do seu cabelo;
— A clara é sempre mais fria,
mas dá-me licença um dia
que eu vou arder no teu gelo!

A cor morena é bonita,
mas nada, nada te imita
nem mesmo sequer de leve.
— O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
és clara da cor da neve!

(Casimiro de Abreu - 1839/1860)

2 comments:

Marco A. said...

Olá Ju; como foi de final de ano? Vendo este post confesso que preciso ler um pouco mais de Casimiro, pois é deliciosamente maravilhoso.

Um ótimo 2010
Abraços Marco

Ivan said...

Eu vi que você está lendo Augusto Cury. Meu pai lê tudo que ele escreve, inclusive dei o ultimo lançamento pra ele no natal. Eu já lí o Código da Inteligência e gostei muito.
Atualmente estou lendo O Mundo Pós Aniversário e acabei de ler o Pequeno Príncipe pela primeira vez. Antes tarde do que mais tarde, não é mesmo Ju.

Um beijinho e uma ótima semana.

Ivan.