Saturday, June 19, 2010

Poema de Sábado - José Saramago

Confesso que as palavras me faltam nesse momento. A literatura perdeu ontem uma grande voz, o jornalismo, um grande argumentista, o mundo, um grande talento. Nosso poema de hoje em homenagem a ele, José Saramago (1922-2010).

Passado, Presente, Futuro

Eu fui. Mas o que fui já me não lembra:
Mil camadas de pó disfarçam, véus,
Estes quarenta rostos desiguais.
Tão marcados de tempo e macaréus.

Eu sou. Mas o que sou tão pouco é:
Rã fugida do charco, que saltou,
E no salto que deu, quanto podia,
O ar dum outro mundo a rebentou.

Falta ver, se é que falta, o que serei:
Um rosto recomposto antes do fim,
Um canto de batráquio, mesmo rouco,
Uma vida que corra assim-assim.

1 comment:

Marcello said...

Muito bom os versos.

O mundo perde uma voz, mas temos Mia Couto, ja leu algo dele ??

Sensacional.

Quem sabe se meu visto for aprovado (que eu duvido..rs) eu possa visitar novamente Terra do Tio Sam...

Bjs