Tuesday, June 8, 2010

East of Eden (John Steinbeck)

 Primeiras linhas:


"O Vale de Salinas está localizado no Norte da Califórnia. É uma campina longa e estreita entre duas montanhas, e o Rio Salinas sopra e se retorce pelo centro delas até finalmente chegar na Baía de Monterey"


"O Salinas era um rio intermitente. No
verão ele virava subterrâneo. Não era
um bom rio mas era
o único que tínhamos e então nos
gabávamos dele..."
Finalmente meu Bookclub conseguiu se reunir para discutir East of Eden - Vidas Amargas e A leste do Paraíso, em português (BR e PT). Preparamos uma pequena viagem para Salinas, cidade cenário da obra. Visitamos o Museu John Steinbeck, a casa onde ele nasceu e viveu até a adolescência e por fim, visitamos o mausoleu da família Hamilton/Steinbeck.

Primeiro quero dizer que foi uma delícia ler esse livro, a história é super longa, o livro é divido em quatro partes e demorei mais de um mês lendo. Steinbeck escreveu East of Eden para deixar como legado aos seus filhos, a história misturas fatos reais e fictícios, mas o desejo principal do autor, foi deixar registrado a história de lutas, desastres, união e conquistas da sua família e da terra que tanto amava.
Samuel e Liza Hamilton

Steinbeck começa contando a jornada de seu avó Samuel Hamilton e avó Elizabeth "Liza" Hamilton, imigrantes irlandeses, que chegaram à Califórnia pouco antes daquela fase da descoberta de ouro por aqui, e buscaram morada em King City, cidadezinha próxima a Salinas. De Samuel e Liza nascem: Tom, Dessie, George, Mollie, Will e Olive - Olive casa com Earnest Steinbeck, e eles são os pais de John Steinbeck

O que encanta na história é a descrição detalhadíssima da paisagem de Salinas, incluindo as mudanças em cada estação do ano, Steinbeck descreve com tamanho capricho que me peguei sentindo o cheiro do mar, das flores, o calor do sol do verão, a aridez durante a seca, e a felicidade durante a chuva.

Mas a obra não conta apenas a história da família de Steinbeck, através das linhas do autor aprende-se sobre a História da Colonização da Califórnia, política, religião, o pré e o pós-guerra, peculiaridades e particularidades que só quem viveu ou ouviu tais histórias de seus ancestrais poderiam compartilhar com tamanha veracidade e riqueza de fatos.

Casa de Steinbeck - hoje museu
e restaurante.
Nosso personagem mais querido foi Lee, filhos de imigrantes chineses que serve a família de Adam Trask. Lee é um personagem intrigante porque apesar de ter nascido na América, conversa com desconhecidos com sotaque chinês... mais tarde Lee torna-se grande amigo e admirador de Samuel Hamilton e os dois travam os melhores diálogos da obra, e é quando Lee se abre e expõe seu inglês perfeito, sem qualquer sotaque - a máscara do sotaque é como um escudo protetor, Lee o usava porque era o que as pessoas esperavam dele, a barreira do preconceito de muitos não lhe permitiam ver o Lee além do chinês, infelizmente.


"Foram os olhos, claro, Samuel pensou. Apenas duas vezes na minha vida vi olhos como aqueles - não eram como olhos humanos" (pag. 177)

Segundo mausoléu da
família Hamilton e
Steinbeck

Lee e Samuel têm uma sensibilidade impressionante, eles conseguem ver o que realmente há no interior das pessoas. São pessoas simples mas de sabedoria milenar e com sede eterna por conhecimento. Lee e Samuel são os que conseguem ver o sepulcro que há dentro de Cathy Trask, esposa de Adam Trask, e mãe dos gêmeos Aron e Cal.

East of Eden me fez apaixonar por Steinbeck, esse é um livro que lerei muitas vezes no futuro e aposto que a cada vez descobrirei fatos novos, compreenderei melhor as palavras do autor. Steinbeck teve como intuito deixar um legado aos seus filhos sobre a sua família... mas para mim, ele deixou um legado à humanidade!

3 comments:

Marcello said...

Minha querida Ju.

Que saudades da terra do Tio Sam, infelizmente não conheci esse sunny side dos EUA, mas que inveja (das boas!!) que me deu desse clube do livro, aqui no Brasil não dá pra fazer o que vocês fizeram por causa da imensidão desse país.
Mas falando da resenha, parece-me que você foi fisgada pela prosa de Steinbeck...
Ótima semana.

Juliana said...

Menina, vivenciando a leitura. Coisa boa!

Bjs..

Stacey Gomes said...

conhecia-o por "a leste do paraíso"... e a versao de cinema nao fica atrás! Confesso que prefiro este ao Rebel Without A Cause, apesar de preferir Ray a Kazan :P Tenho mesmo dever o Giant, James Dean é um ícone, mas sobretudo um ícone com um talento imenso.
recomendo o filme, e o livro (http://portugues.free-ebooks.net/ebook/A-Leste-do-Paraiso)!